Iza e Cardi B: as promessas de 2018

Atualizado: 19 de Jan de 2019

Após grande destaque no meio musical em 2017, cantoras lançam seus álbuns de estreia este ano.


Neste 8 de março, vamos dar voz a trabalhos femininos que emergem na indústria musical e ganham força a cada dia. Com a visibilidade dos hits “Pesadão” e “Bodak Yellow”, a cantora Iza e a rapper americana Cardi B lançam seus álbuns de estreia em 2018 e buscam firmar seus lugares na música.


Isabela Lima, a nossa Iza, trabalha com calma no seu álbum de estreia “Dona de mim”, com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2018. Regida por um sol em virgem, podemos entender que essa “calma”, na verdade, é aquele perfeccionismo virginiano para lançar algo perfeito para os fãs e todos aqueles que se encantaram com sua potência vocal. Cria da zona norte do Rio de Janeiro, Iza é formada em Publicidade e Propaganda e até chegou a trabalhar na área, mas a música falou mais alto e em 2014 decidiu trilhar seu caminho. Fazendo covers MARAVILHOSOS para seu canal no Youtube, a cantora e compositora despertou o interesse da gravadora Warner e assinou um contrato com eles em 2016.

Batalhando pelo seu merecido lugar ao sol, quem não conhecia Iza estremeceu ao som do hit “Pesadão”, parceria com o cantor Marcelo Falcão. Voltada para a representatividade e empoderamento negro, a música lançada em outubro de 2017 foi um dos virais no ano e foi uma oportunidade para conhecer a Iza compositora e dançarina. A moça se jogou em uma letra forte e afiada, com misturas de pop, reggae e R&B, além de arrasar na coreografia. Gravado em dois dias no viaduto de Madureira, o local foi escolhido pela artista por ser um local musicalmente forte e pelo contexto do movimento negro.

Sem medo de se afirmar como feminista e falar da sua força como mulher negra, Iza recebe inúmeros relatos de garotas que a veem como uma referência negra e se inspiram na cantora para o reconhecimento estético enquanto negras. Os depoimentos envolvem a passagem pela transição capilar inspirada na cantora, até a importância de ter uma imagem negra nos meios de comunicação. Só representatividade essa garota!


Além dos covers, Iza tem as músicas “Te pegar”, “Quem sabe sou eu” e “Esse brilho é meu” no seu repertório. E depois de lançar “Oh oh oh oh oh oh Só pesadão, pesadão-dão”, Iza mostrou todo seu poder vocal no cover arrebatador de “Put a Spell On You”, da Nina Simone.

Agora, é só preparar as estruturas para a chegada desse álbum.



I don't dance now, I make money moves

Cardi B é a segunda rapper solo a liderar Hot 100 da Billboard. Último destaque foi em 1998 com "Doo Wop (That Thing)", de Lauryn Hill.


Filha de imigrantes, Belcalis nasceu e cresceu no Bronx (Nova York). Adotando o nome artístico “Cardi B”, a jovem é conhecida pelo seu temperamento forte,divertido e por não ter papas na língua.Sua trajetória artística começou nos clubs como dançarina e stripper, fase que muitos usam para deslegitimar seu trabalho na música, mas mostra um caminho cheio de batalhas. A vida como dançarina possibilitou sair da casa do ex-namorado agressivo e retomar os estudos.

Ao mostrar sua rotina no Instagram, Cardi B ganhou inúmeros seguidores e, em um belo dia, foi convidada para o reality show "Love & Hip Hop". Mostrando interesse pelas rimas, Cardi B começou a trilhar seu caminho como rapper lançando duas mixtapes: "Gangsta Bitch Music Vol. 1" e "Gangsta Bitch Music Vol. 2". Mas ela estourou mesmo com a música “Bodak Yellow”, na qual ostenta os ganhos que teve com o seu trabalho. “These expensive, these is red bottoms, these is bloody shoes”, trecho que faz referência a marca Christian Louboutin. O nome da faixa é uma brincadeira de palavras com uma das inspirações da artista, o rapper Kodak Black e sua música “No Flockin”.


Feminismo e empoderamento feminino


Feminismo e empoderamento feminino fazem parte do contexto quando falamos de Cardi B. Criticada pelo seu passado como stripper, falas e comportamentos considerados excessivos e agressivos, a artista não deixa de defender seu ponto quando o assunto é o direito das mulheres. Em entrevista ao The Guardian ela expressou sua visão sobre feminismo e empoderamento.

"Algumas pessoas acham que ser feminista é ter um diploma, ter um vocabulário refinado, e não é – é uma mulher que acha que tem os mesmo direitos que um homem".
“Não quero influenciar as mulheres a fazer algo – quero que você sinta esse empoderamento, tipo você pode fazer isso. Muitas mulheres não fazem isso porque não sabem como, mas muitas gostariam de poder fazer.”


Sucesso pós Bodak Yellow


Com Bodak Yellow ela conseguiu duas indicações ao Grammy, “Melhor canção de rap” e “Melhor performance de rap”, além de subir ao palco da premiação ao lado de Bruno Mars na canção “Finesse”. No finalzinho do ano passado, Cardi B e Nicki Minaj participaram de “MotorSport”, do grupo Migos. O presente de natal dela para os fãs foi o lançamento de “Bartier Cardi”, com participação do 21 Savage.


Miga, libera logo esse álbum!


Siga o It Is a Bop no Facebook, Twitter e Instagram e fique por dentro das músicas e artistas que estão bombando na internet.



Fontes: G1, Elle, Capricho, The Guardian, Jornal Nexo e G1².

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - White Circle

© 2019 | itisabop@gmail.com | Música em Alta