Parabéns, Madonna!

No aniversário da Rainha do Pop, vamos conversar um pouco sobre a obra musical da aniversariante do dia.


Madame X: 14º álbum de estúdio de Madonna

“Gonna have to change your mind

Gonna leave your troubles behind

Your body gets the notion

When your feet can make the motion

Everybody

Come on, dance and sing

Everybody

Get up and do your thing”

(Everybody, Madonna)


E assim nasceu o primeiro single de Madonna Louise Veronica Ciccone aka Rainha do Pop. No aniversário da dona e proprietária da empresa música pop, trouxemos um resuminho do que ela apresentou nos seus 14 álbuns de estúdio.


1983 - Madonna

O álbum apresenta uma jovem cantora com capacidade de andar por vários caminhos dentro do mundo pop. “Everybody”, primeiro single de Madonna, apresenta influências de synthpop (electropop ou technopop), funk e R&B. O álbum também apresenta os sucessos Lucky Star, Borderline e Holiday.



1984 - Like a Virgin

Disposta a mostrar suas composições, temos Madonna propondo discussões sobre sexualidade, relacionamentos e medos. O álbum vendeu mais de 25 milhões de cópias, obtendo grande destaque pelo mundo.



1986 - True Blue

Sexualidade e relacionamentos continuam presentes nas composições, além de um dos pontos fortes da carreira da artista: questões religiosas. Entre as faixas temos "Papa Don’t Preach' e “La Isla Bonita".


1989 - Like a Prayer

Se "Papa Don’t Preach" já tinha proporcionado um certo murmurinho, por trazer a história de uma adolescente grávida, o clipe icônico de "Like a Prayer" chegou com os "dois pés na porta". Além da questão religiosidade Madonna apresenta outros pontos de sua vida, falando sobre questões pessoais, sexualidade e empoderamento feminino. O álbum também conta com "Cherish", "Express Yourself" e uma parceria com o cantor Prince em “Love Song”.



1992 -Erótica

Musicalmente “Erótica” traz influências de House Music, doses consideráveis de Hip-Hop, Soul e R&B. Mais do que assuntos ligados a sexualidade, ao longo das faixas aceitação, libertação e preconceito marcam presença na obra.


1994 - Bedtime Stories

Mostrando sua capacidade de reinventar e adaptar ao cenário da música, Madonna em seu 6º álbum mostra inspirações do R&B em músicas sentimentais e românticas.


1998 - Ray of Light

Novamente Madonna mostra sua capacidade de experimentar novos caminhos dentro do mundo artístico. No contexto do álbum temos Madonna como mãe e sua inserção religiosa dentro da Cabala. Com uma sonoridade que soa parecido com Björk, Massive Attack e Portishead, em tramas musicais sobre amor, fé e conflitos sociais.


Uma música para as góticas suave:

2000 - Music

Uma recapitulação dos ritmos que embalaram sua obra, com uma exceção e novidade que seria a música country (mesmo que breve).


2003 -American Life

Um cenário político aquecido, pós 11 de setembro de 2002, Madonna apresenta um trabalho denso, mas que permite o movimento do corpo.



2005 -Confessions on a Dance Floor

Mostrando sua admiração a dance music, Madonna apresenta um álbum dançante que dialoga com a música disco.



2008 - Hard Candy

Atenta ao cenário musical Madonna apresenta um trabalho que acompanha o contexto, apresentando seu trabalho ao lado de Justin Timberlake, Timbaland e Pharrell Williams.


2012 - MDNA

Continuando sua atenção para a atual música pop, Madonna apresenta um álbum inscrito nas produções da época.


2015 - Rebel Heart

De volta a temas como religião, sexualidade, autodestruição, amor e, claro, rebeldia. O álbum da cantora contou com um super time de produtores Diplo, Kanye West, Avicii e Ariel Rechtshaid.


2019 -Madame X

Temos uma Madonna olhando de frente para o cenário político mundial. Um exemplo claro é o debate sobre desarmamento em God Control. Um disco que busca diálogo com música latina, contando com participações de Anira e Maluma. E um envolvimento com música africana.


Fonte: Miojo Indie aqui e aqui.

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - White Circle

© 2019 | itisabop@gmail.com | Música em Alta